Mirka Blogueira no Pérolas Didáticas

image

Ano passado compartilhei com vocês sobre o LINDO Canal Piano.Pérolas, que tem por objetivo divulgar a música didática para piano de compositores brasileiros. (Se você ainda não se inscreveu no canal, pare de ler o post AGORA e vai lá no YouTube se inscrever!!!!!). A idealizadora é a competentíssima Carla Reis, professora da Universidade Federal de São João Del Rei. A novidade é um desdobramento desse projeto que agora ganha um espaço específico para assuntos relacionados à pedagogia do piano. Mas que maravilha!!! São vídeos quinzenais com provocações, dicas, ideias e discussões sobre vários temas envolvendo o ensino do piano.

O primeiro vídeo, intitulado “O Complexo de Gabriela”, reforça a importância de sair da caixa, dar uma sacudida e questionar a nossa maneira de ensinar.  Não poderia imagehaver um começo melhor para essa história. Afinal de contas, se não estamos dispostos a mudar para melhor nossa maneira de trabalhar com os alunos estaremos meramente reproduzindo mecanicamente o jeito como fomos ensinados.  Então a mensagem é que vale a pena sair da zona de conforto e se reciclar SEMPRE!

No segundo vídeo da série, Carla mostra dois blogs com conteúdos super interessantes para quem quer usar a internet como ferramenta na busca por recursos, materiais e ideias para as aulas. Um deles é o excelente Piano Mundi, da Izabela Pavan, que já mostrei aqui num post durante a maratona. O outro é de uma tal de Mirka, que tem um blog chamado Mirka&Piano. Não sei se alguém aqui já ouviu falar, mas parece que é muito legal. 😉  Segue o vídeo na íntegra:

Quando fiquei sabendo que o blog seria tema de um dos vídeos do Pérolas.Didáticas primeiro, fiquei muito feliz, segundo, parei um pouco para refletir sobre esse espaço aqui, sobre as motivações para iniciar essa minha pequena história (já são três anos!!) do Mirka&Piano. Então segue o blá, blá, blá aí para quem não tiver nada melhor para fazer e quiser ler:

 

A Historia da Mirka Blogueira!image

Bem, no meio da minha formação eu me vi apaixonada pelo ensino do piano e desde então venho pesquisando formas de aprimorar esse ofício tão bonito. Nesse caminho um tanto quanto solitário, tenho visto a internet como um veículo poderoso para me abastecer de conhecimento através de livros, vídeos, sites, palestras, cursos on-line, podcasts e blogs.

Há uma comunidade grande de professoras de piano blogueiras que com sua generosidade dividem experiências e materiais de todos os tipos para serem usados nas aulas. Fiquei tão encantada com esse universo e sentindo que poderia também contribuir um pouquinho, resolvi me lançar nessa jornada que começou em 2014 com o Mirka&Piano. Creio que na época o blog não foi só para que eu tivesse um lugar onde compartilhar o que sei e no que acredito, mas que o fizesse na nossa língua, já que praticamente todos os que eu acompanhava estavam em inglês.

Mirka e Piano _Praia

Também por essa carência achei que deveria fazer deste um espaço para a produção de conteúdo. A ideia sempre foi apresentar soluções práticas sobre o dia a dia das aulas, fazer e compartilhar materiais como jogos e atividades, relatar experiências, apresentar ideias e divulgar outros projetos de pedagogia do piano como canais no YouTube, sites, eventos e cursos.

Além do blog, que aparece como página inicial do site e é voltado para professores cropped-figura22.jpgde piano e de música em geral, o http://www.mirkapiano.com também funciona como meu cartão de visitas, onde anuncio as aulas, exponho meu currículo e meus contatos para prospectar novos alunos (por isso a escolha óbvia de usar meu nome e o instrumento que ensino: Mirka&Piano). E olha que tenho obtido muita procura por aulas através do site, já que no lugar das antigas “páginas amarelas” ou “classificados” as pessoas hoje usam basicamente a internet para a busca de produtos e serviços.

Um dos resultados mais bonitos desse projeto é a formação de uma comunidade de professores que acompanham, se inscrevem e comentam. Como falei anteriormente, sempre achei essa vida de professor particular de instrumento, especialmente de piano, muito solitária. Sinto falta de interagir mais com outros colegas para dividir anseios, angústias e também a satisfação e a felicidade de fazer esse trabalho. Além disso, essa troca traz riqueza e amplia nossa visão de ensino. É realmente maravilhoso!

Mas, mas, mas…confesso que não é fácil levar o blog adiante. São em média 5 horas de trabalho para cada post, desde ter a ideia do tema, a pesquisa, a elaboração do texto, revisão, inclusão de gravuras e vídeos, mais revisão, produção de materiais, revisão de novo…Tudo isso feito nas “horas vagas” entre uma aula e outra. Sem falar no custo para manter o site no ar. Mas ADORO fazer isso. Sou com certeza uma blogueira feliz! Então, embora difícil, é muito gratificante. E depois desse vídeo do Piano.Pérolas, a bochecha fica mais rosada e o sorriso vem  mais fácil porque a gente vê que o propósito do blog está sendo atingido!!

E você, querido professor ou professora que visita e acompanha o Mirka&Piano, você já pensou em criar seu próprio site, ou ter um blog, página no facebook ou canal no YouTube para compartilhar algo? Talvez sua especialidade seja piano em grupo, ou piano popular, ou aulas para adultos, ou a filosofia Suzuki ou Kodály…seja o diferencial que for, você também pode contribuir para a nossa comunidade de pedagogia do piano. Que tal começar a compartilhar também? Hein? Hein? Hein? E outra coisa, já que você teve a pachorra de ler até aqui, que tal recomendar o Mirka&Piano para outros colegas? Se você acha que vale a pena e está ajudando nas suas aulas, será que não ajudaria também outros professores de música que você conhece? Não guarde isso só pra você! Mais generosidade, por favor!!!

Ah, e dia 24 de Junho sai outro vídeo do Pérolas.Didáticas! Não percam!!

Fica aí o desafio e…

um ótimo ensino de música a todos!

image

 

Conhecendo os Compositores

Que tal convidar os compositores para as nossas aulas?

image

Bem, eu penso que para um ensino de música em primeiro lugar (e não só de piano) é importante que o professor inclua alguns conteúdos na sua aula, como história da música, biografia dos compositores e apreciação musical, por exemplo. Esses aspectos de cultura musical geral complementam o trabalho no instrumento e enriquecem muito as aulas, proporcionando um ensino muito mais completo para o aluno.

Como eu sou muuuuuiiitttoo inquieta, estou sempre buscando novos recursos para trabalhar esses conteúdos com os alunos. Então, numa das minhas andanças pela internet encontrei umas coisinhas muito bacanas sobre os compositores que gostaria de compartilhar hoje com vocês, além de algumas outras ideias daqui do blog mesmo.

1. Biografias ilustradas: vídeo

Eu gosto muito de histórias ilustradas e elas estão se tornando cada vez mais populares em vídeo! Encontrei essas duas versões sobre Beethoven e Chopin. Há obviamente muito mais informações que poderiam ter sido dadas, mas os vídeos são  curtos. Perfeitos para crianças! Super bem feitos com texto, desenhos e música. Uma pena que o canal tenha só essas duas opções, mas espero que mais alguns compositores sejam incluídos no futuro.

2. Biografias ilustradas: livros

Além dos vídeos existem diversas coleções de livros de diferente editoras que são próprios para o público infantil. Mas eu encontrei dois que me chamaram a atenção: Chiquinha Gonzaga e Villa-Lobos! Uma excelente forma de trabalhar a vida de nossos compositores brasileiros, ou a infância deles (como no caso desses livrinhos). Eles são da editora Callis e achei para vender na livraria Saraiva.

3. Jogo da memória

  • Já falei aqui sobre a Susan Paradismas não me canso de indicar o site dela! É definitivamente uma parada obrigatória para quem quer jogos e atividades para usar nas aulas de música! Ela disponibiliza arquivos pdf, então é só imprimir e usar! Pois bem, ela tem um jogo da memória dos compositores para colar em tampas de plástico! Criativo e sustentável! Mas não se esqueçam, caso baixem o arquivo, considerem fazer uma doação para que ela continue mantendo o seu maravilhoso site!

image.jpeg

Clique AQUI para fazer o download do jogo no site da Susan

4. Quebra-cabeça com palitos de picolé 

Essa próxima dica é uma reciclagem de um post aqui do blog mesmo. Publiquei no ano passado durante a maratona. É um quebra-cabeça dos compositores! A ideia é muito simples. Abaixo segue o vídeo tutorial:

5. Sugestão de plano de aula

Depois dessas dicas todas, gostaria de sugerir um pequeno plano (que eu particularmente uso) dividido em 4 semanas e que pode ser feito usando no máximo 10 minutinhos da aula. Esse esquema funciona melhor com o envolvimento da família. Nesse caso ajudamos também a levar cultura musical geral para os lares dos nossos alunos e contribuímos para a formação de platéia.

Aula 1

  • Selecione o compositor, de preferência um que o aluno esteja tocando no seu repertório;
  • Faça a atividade do quebra-cabeça para “apresentar” o compositor ao aluno;
  • Faça perguntas para ver o que o aluno já sabe (nome, país natal, título de algumas composições…);
  • Mostre um vídeo sobre a biografia e complemente com mais alguns fatos e histórias interessantes;
  • De tarefa peça que o aluno leia mais sobre o compositor na internet ou,  se tiver um livrinho, empreste para ele ler na próxima semana. Selecione também algumas obras do compositor com link de vídeos do YouTube para ele assistir em casa.

Aula 2

  • Peça ao aluno que fale  o que leu sobre o compositor;
  • Comentem sobre as músicas que ficaram de tarefa e escutem juntos mais alguns trechos de outras composições;
  • Peça ao aluno que faça um desenho do compositor para mostrar na aula seguinte e que continue ouvindo as obras indicadas;
  • Envie uma mensagem para os pais avisando que o aluno está estudando sobre determinado compositor e incentive a família a participar escutando juntos as músicas selecionadas. Outra sugestão é que os pais peçam para seu filho contar  sobre a vida do compositor para eles.

Aula 3

  • Comece apreciando o desenho que o aluno fez;
  • Como atividade de revisão elabore afirmações corretas e incorretas sobre a vida e a obra do compositor para o aluno responder se é “verdadeiro ou falso”;
  • Mostre o jogo da memória com outros compositores que serão estudados no futuro. Apresente seus nomes e aproveitem para jogar!
  • Peça ao aluno que continue ouvindo as obras selecionadas.

Aula  4

  • Jogue mais uma vez o jogo da memória e cada vez que formar um par, peça ao aluno para falar o nome do compositor;
  • Faça um teste de apreciação musical colocando para o aluno ouvir algumas das obras selecionadas e peça que identifique o título e os instrumentos utilizados;
  • Se o aluno for bem em todas as atividades anteriores e você achar que deve dar um incentivo, pode finalizar o projeto confeccionando um certificado bem fofo de “Expert em (e escrever o nome do compositor)”. Depois é tirar uma foto e enviar para a família!
  • Como “cereja do bolo” você pode sugerir aos pais que fiquem atentos à programação cultural da cidade e levem seu filho para assistir a um concerto que inclua no programa obras do compositor estudado!

Bem, obviamente que tudo isso fica lindo no papel, mas nem sempre vai funcionar como planejamos. Por isso é importante ter flexibilidade, adaptar as atividades ao longo do processo e ver o que funcionará melhor para cada aluno. Afinal, são só sugestões mesmo!

Lembrando que essas atividades foram pensadas para serem usadas com crianças, mas nada impede que você faça os devidos ajustes para trabalhar com adolescentes e adultos.

Obs.: Dependendo da idade  e da bagagem musical do aluno seria interessante ir apresentando os períodos da história da música e situar os compositores nessa linha do tempo a medida que forem sendo estudados. Outro aspecto que pode ser abordado é a forma das composições.

Para terminar compartilho esse lindo desenho que minha aluna Julia fez de Beethoven quando ela tinha 9 anos! Fofura total!!!

image

Até a próxima e ótimo ensino de MÚSICA a todos!!!

Mirka.

De Volta com os Aniversariantes !!

Queridos amigos e colegas professores!

Já fazia um tempo que não nos encontrávamos por aqui! Mas foi por um bom motivo, um ótimo, na verdade. Talvez alguns de vocês já saibam, mas tive meu primeiro bebê há pouco e depois de uma fase intensa de amamentação, cólicas e trocas de fralda, a vida aos poucos vai voltando ao “normal”, se é que se pode dizer… Não costumo compartilhar questões pessoais como essa, mas vocês que acompanham o blog merecem uma satisfação para o meu pequeno sumiço nos últimos meses! Então logo, logo teremos um pequeno pianista correndo pela casa!😃😃😃

 

image

Bem, o post de hoje veio como sugestão da colega Natany Hellen Braga, que é uma seguidora fiel do blog! Ela me alertou que há um tempo atrás, quando fiz o calendário de aniversários dos alunos, compartilhei somente de julho até dezembro. Então, para completar o ano trouxe hoje o arquivo com os meses de janeiro até junho! Um pouquinho atrasado, considerando que já estamos no final de abril, mas antes tarde do que nunca, não é mesmo?!

image

Calendário Aniversários_Janeiro-Junho_pdf

Aproveito e compartilho com vocês o que eu e minhas colegas professora de piano do Pianópera vamos dar de aniversário para os alunos esse ano: um lápis preto com um pianinho colado na ponta! Descobrimos essas fofuras eu e Eduardo Fontes numa andança pelo comércio do Saara aqui no Centro do Rio. Ficaram uma graça! Obrigada Tamy Oliveira que me ajudou nesse projeto e confeccionou os mimos!

image

E aproveitando para reciclar posts antigos que tem a ver com esse, eu já ensinei a fazer uma embalagem fofa para um kitkat e uns bloquinhos musicais:

Para aprender a fazer a embalagem do kitkat clique aqui

Para ver o post sobre os bloquinhos, clique aqui.

Bom, por hoje era isso!

Mas em breve eu volto com super novidades sobre o projeto Pianopérolas, sobre um material maravilhosos da professora Irina Gorin, apps de jogos e atividades para usar nas aulas e um super projeto surpresa! Aguardem!!

Um ótimo ensino de piano a todos! E FELIZ ANIVERSÁRIO!

piano cake
(Me inspirei na colega Graça Pereira do grupo de whatsapp de professores de piano. Sempre que temos alguém de aniversário ela compartilha a imagem de um bolo temático de música ou de piano! Super simpática!)

 

Mirka.

 

 

O Pós Recital

 

Sim, existe vida após o recital de final de ano!

image

O recital acabou!!!!! E embora você fique feliz e aliviado de tudo ter terminado bem e em termos de cansaço e exaustão  numa escala de 0 a 10 o seu nível seja 11, existem sim mais algumas coisinhas a serem feitas. Então, eu sugiro que você se recomponha um pouquinho, tire forças (sei  lá de onde) e vamos fazer nosso “pós venda”, ou melhor, nosso “pós recital”.

  1. Avaliação!image

Numa conversa informal entre os professores do grupo Pianópera, geralmente logo após o recital, aproveitamos para falar do que deu certo e o que poderia melhorar para o próximo. Essa conversinha é MUITO importante para que possam ser pensados ajustes para a próxima vez. A gente SEMPRE pode melhorar, certo? É dessa forma que corrigimos pequenos erros de execução e nos comprometemos com um padrão de maior qualidade nos eventos.

  1. Um MUITO OBRIGADA!!image

Minha próxima recomendação é enviar uma mensagem de Whatsapp para pais e alunos no mesmo dia ou no dia seguinte ao recital com uma mensagem bem simpática de agradecimento! Geralmente envio uma foto de grupo dos alunos e expresso minha felicidade pelo apoio dos pais e pelo esforço dos alunos. Isso não só mostra a eles que você está contente com o evento, mas também seu carinho e gratidão pelo trabalho em conjunto para que tudo funcionasse bem. Eu sei que parece óbvio, mas não podemos nos esquecer que expressar gratidão é algo muito importante nas relações humanas, é básico, é elegante, traz satisfação e faz muito bem!

  1. Um Feedback “light” image

Na aula seguinte eu sempre cumprimento mais uma vez o aluno pelo sucesso do recital, ressalto os pontos positivos e mostro o vídeo dele tocando para assistirmos juntos. Nesse momento seleciono  alguns (poucos) pontos que poderiam ser melhorados para a próxima vez. Esse é o momento para celebrar o que funcionou bem e ajudar o aluno a ver o que ele pode fazer para se preparar ainda melhor e sentir-se mais confiante numa  oportunidade futura em que estiver no palco.

Obs.: geralmente não contratamos ninguém para a filmagem, mas deixo minha câmera parada filmando o recital num ângulo que pegue as mãos dos alunos. Não é nada profissional, mas serve bem como material de estudo em aula. De qualquer forma os pais também costumam filmar seus filhos durante a apresentação para compartilharem com amigos e familiares nas redes sociais.
  1. As fotos image

Nos nossos recitais sempre contratamos um fotógrafo profissional para tirar fotos dos alunos. É uma forma de guardar uma linda lembrança de sua participação, e também serve como um ótimo material de portfólio para os professores, uma amostra de seu trabalho. Vamos combinar que na hora a gente se preocupa com tantas coisas e não tem a menor condição de ainda pensar em tirar fotos durante o evento. Sem falar que por mais habilidosos que sejamos com a câmera, um fotógrafo de verdade sempre vai fazer um trabalho de melhor qualidade.  O pagamento desse profissional é rateado entre os participantes e incluído no valor de contribuição para os custos do recital. Cada aluno pagando um pouquinho não fica pesado para ninguém e no final todos ficam felizes com as lindas fotos! O que fazemos é, assim que a edição é finalizada o fotógrafo as salva no dropbox e enviamos o link para os pais e alunos.

Abaixo uma amostra de algumas fotos que o nosso super fotógrafo David Fuller tirou esse ano. As que escolhi aqui para o blog são apenas aquelas que não expõem muito os alunos. Assim evitamos problemas com direitos de imagem 😉

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Bem, esse era o último post sobre os recitais! Espero que essa série de artigos que eu compartilhei seja útil e possa ser aproveitada para ajudá-los a terem apresentações de final de ano inesquecíveis e menos estressantes! E lembrem-se, a preparação começa agora! Bora lá marcar as datas dos eventos pra já!

Um ótimo recital de final de ano a todos (desde agora, em Janeiro!!!!)

Mirka.

Recital dos alunos! O dia “D”

Então!!! 

Depois de uma longa fase de preparação e da contagem regressiva para o recital eis que chega o grande dia!!!!! E que nervoso dá na gente, né? Mesmo com todos os cuidados que se toma o momento do palco é um desafio para o professor, já que (salvo nas músicas em que vamos tocar a 4 mãos)  é a vez do aluno e só dele! Tudo o que você poderia ter feito para ajudar antecede aquele momento. E a gente fica lá só na torcida para que tudo dê certo! Sendo que cada aluno reage de uma forma, uns são mais confiantes, outros mais hesitantes, outros conseguem se virar super bem com os pequenos esbarros, outros têm menos jogo de cintura. Mas o mais importante é saber que fizemos tudo o que poderíamos para conduzir o aluno de forma que ele tenha uma boa experiência! E quando ele sai de lá com um sorriso no rosto e com o sentimento de realização, paga todo o esforço e sacrifício! Sem falar no alívio que dá na gente, vamos combinar!!!!!

Bem, algumas dicas que eu dou para o dia são:

1. Chegue cedo e deixe TUDO preparado antes dos alunos chegarem, porque quando isso acontecer eles precisam da  nossa total atenção. É preciso verificar como cada um reage e dar o suporte que eles precisam (que vai desde um abraço e palavras de incentivo até pequenas dicas de última hora sobre alguma passagem da música).

Nos nossos recitais chegamos 3 horas antes do evento começar, deixamos tudo pronto e arrumado (piano, slides, lanche, cartazes, lugares, programas…) e duas horas antes os alunos começam a chegar para ensaiar no piano do recital.

2. Nos nossos recitais os alunos têm horário certo para ensaiar no piano. Isso deu muito certo esse ano! Fizemos uma lista em ordem alfabética e isso evitou que todos chegassem 20 minutos antes, que é receita para atraso na certa!

Na semana do recital enviamos dois lembretes (um deles na véspera) para pais e alunos sobre o horário que cada um deve chegar para ensaiar. Se o aluno daquele horário não chegou, vamos adiantando o próximo e deixamos uma margem de tempo no final para aqueles que eventualmente se atrasam! De qualquer forma temos um horário limite, que é 20 minutos antes do recital. Nesse tempo os convidados estão liberados para entrarem no auditório e nenhum aluno pode mais tocar até o horário marcado para começar.

3. Começar no horário é essencial! Nos lembretes que fazemos aos alunos e pais explicamos diversas vezes que não atrasaremos o início do evento por alunos ou convidados que não estejam lá no horário.

Ser pontual não é só uma questão de respeito com quem chega na hora, mas um compromisso já que o horário foi acordado e divulgado no convite. Além do mais, no nosso caso, alugamos o espaço com horário certo para início e término, então precisamos cumprir o tempo de uso estabelecido no contrato.

O resultado é que vamos conscientizando e educando os alunos, suas famílias e os convidados porque eles sabem que se chegarem atrasados vão perder parte do evento. O contrário seria  desastrosos: as pessoas chegariam tarde porque sabem que você sempre dá aquela “esperadinha” para começar. Pense nisso!

4. Manter um clima amigável. Olha, é uma alegria tocar em público, compartilhar música com pessoas queridas e tudo mais,  mas dá nervoso na gente sim! Com os alunos não é diferente. E para os que tocam piano já é desafiador o suficiente enfrentar a pressão do palco sozinhos, então sempre é bom promover um ambiente de descontração desde que os alunos chegam até a hora de dar início ao recital. Isso promove mais confiança e tira um pouco daquele peso e da formalidade do momento.

Antes do evento começar SEMPRE explicamos (o óbvio), que é um recital de ALUNOS e não de profissionais, que não é fácil subir no palco para tocar, que eles se esforçaram muito para estarem ali, que todos merecem receber uma salva de palmas bem calorosa, etc. (Essa mensagem é especialmente direcionada para aquele membro da família sem noção que depois do recital vai falar com o aluno justamente “daquele errinho” que ele teve “naquela parte”…me poupe!) Depois disso tiramos nossa foto de grupo logo no início, antes dos alunos começarem a tocar. Isso também ajuda muito a quebrar o gelo!

5. Dar suporte! Eu pessoalmente gosto de estar na entrada do palco para dar aquela força para os alunos, dar aquele último tapinha nas costas antes deles entrarem, para desejar boa sorte, para dizer aquelas últimas palavras e trazer a confiança de que tudo vai sair bem, bater palma bem forte…sem falar que na saída, ainda posso cumprimentá-lo e dar os parabéns em primeira mão! Esse calor humano faz toda a diferença!  (Desabafo de pianista: como senti falta desse suporte nos momentos mais difíceis da minha formação!)

Bem, acho que chega de falatório! Agora convido vocês a fazerem uma pequena visita a um de nossos recitais! Segue o vídeo!

E nos vemos na semana que vem com o “pós recital”. Ah, acharam que tinha acabado, né? Que depois da apresentação não tinha mais nadinha para se fazer? Bem, aguardem o novo post então!😉

Um ótimo final de semana a todos e nos vemos logo,

Mirka.

Calendário de Contagem Regressiva para o Recital

image

Então!

Dando continuidade aos posts sobre os recitais, hoje compartilho um vídeo e 3 arquivos com um modelo de calendário de contagem regressiva para os recitais.

Espero que a ideia seja útil para vocês tanto quanto tem sido para mim e meus alunos!

 

Calendário_Modelo PDF

Calendário_Para Imprimir PDF

Calendário_Para Editar Word

 

Uma ótima preparação para o recital para você e seus alunos!!

Mirka 🙂

10 dicas para preparar um Recital (sem stress!!)

Olá a todos!!

Espero que tenham tido um ótimo Natal 🎄e estejam aproveitando as merecidas férias! Quanto a mim, esse tem sido um Dezembro bastante corrido, mas finalmente volto para fechar os últimos posts do ano, antes que ele acabe!!!!

Hoje vamos a nossa Parte 1 do Manual de Sobrevivência para os Recitais!

Pois é! Preparar um recital de alunos, na minha opinião, é uma das tarefas mais desafiadoras para o professor particular de instrumento. São muitas etapas e processos para que tudo ocorra bem, em resumo: dá trabalho! Mas com a devida antecedência e planejamento é possível programar tudo sem muito stress! Abaixo elaborei 10 pontos relacionados à essa fase de preparação!

1. Lista de eventos

image

Com muita antecedência (preferencialmente no início do ano) seria interessante que o professor fizesse uma lista de todos os eventos que planeja fazer com os alunos, sejam recitais, workshops, cursos, concertos guiados, encontros, aulas abertas ou até festinhas.

2. As datas

image

A partir da lista de eventos do ano, o próximo passo seria pensar nas datas de realização. Quando eu e os professores do Pianópera nos reunimos para decidir o calendário semestral ou anual de eventos temos só uma coisa em mente: queremos que o maior número de alunos participe! Por isso seguimos as seguintes diretrizes:

• Escolhemos as datas em um dia da semana que a maioria dos alunos esteja disponível, nesse caso aos sábados;
• Evitamos ao máximo os finais de semana com feriados prolongados, meses de férias escolares ou épocas do ano com muitas atividades (como Dezembro, por exemplo) e observamos datas importantes nas escolas onde temos um grande número de alunos;
• Enviamos o calendário de eventos, assim alunos, pais, professores e convidados podem organizar suas agendas.

Mesmo assim não é possível evitar que alguns deixem de participar por conta de compromissos particulares, mas tomando esses cuidados conseguimos ter um bom quórum.

Há também aqueles alunos que não gostam de tocar em público ou aqueles que gostariam, mas nós como professores sentimos que ainda não estão suficientemente preparados. Nesses casos é melhor não insistir e respeitar o tempo e a vontade do aluno. Os recitais são eventos para os  que estejam em condições e que sintam o desejo de participar.

3. Escolha dos locais

image

A partir das datas é hora de entrar em contato com os possíveis locais onde possam ser feitos os eventos, de acordo com as características e demanda de cada um. No nosso caso trabalhamos com duas opções:

Primeiro: uma sala para 40 lugares, em local de fácil acesso para a realização de eventos pequenos, como saraus, masteclasses, recitais solo, ensaios, etc.

Segundo: para recitais de grande porte alugamos um auditório que comporte um maior número de alunos e convidados.

Há alguns pré-requisitos que tentamos seguir na hora de buscar um espaço “ideal” para os eventos: fácil acesso, seguro, com um ótimo piano, lugares suficientes, ar condicionado, boa iluminação, próximo a estacionamentos ou pontos de transporte público (como o metrô, por exemplo), que esteja dentro do nosso orçamento e PRINCIPALMENTE que seja um local sério e confiável.

Uma pequena história para ilustrar o que acabei de reforçar:
Já aconteceu de alguns locais cancelarem conosco faltando 3 dias para o recital, com todos os convite entregues, tudo organizado e com contrato assinado e o aluguel pago. Por mais que se possa recorrer à justiça nesses casos, nada, nada mesmo paga a grande dor de cabeça de ter que realocar um evento de última hora! É realmente um pesadelo! Por isso, escolher um local de confiança, que tenha uma agenda organizada e que cumpra com o contrato é de ESSENCIAL importância! A partir daí é só reservar com muita antecedência para garantir tranquilidade para alunos, pais, convidados e principalmente para nós, professores!

4. Informação!

image

Depois de reservar os dias e locais dos eventos, o próximo passo é enviar uma circular para todos os pais e alunos informando sobre as datas. Nessa circular constam o dia do evento, os dias e horários de ensaios, o que é preciso que o aluno leve, a sugestão de vestuário e o custo por aluno. Nós costumamos imprimir e entregar aos pais, mas também enviamos uma cópia por e-mail. Essa informação inicial do tipo “save the date” é importantíssima, não só para que os pais e alunos reservem as datas em seus calendários, mas também para que tenham confiança de que o trabalho do professor de fato é sério e organizado. Nada de coisas de última hora!
Com o passar dos meses é sempre bom relembrar de tempos em tempos a todos (pais e alunos) das datas por mensagens de e-mail ou WhatsApp, assim evitamos que se esqueçam dessas informações importantes.

5. A escolha do repertório!

image

Bem, essa é uma questão crucial para o sucesso do evento. Ao expor o aluno a uma situação de palco há que se ter o máximo de cuidado para que o mesmo sinta-se seguro e confiante. Esse é o segredo para um final feliz!! Nesse caso, deve-se escolher a música com antecedência. Pelo menos uns 70 dias antes seria o ideal, mas se for algo que já esteja no repertório do aluno, que já saiba tocar com fluência, pode até ser com menos tempo.
Como trabalhamos em conjunto eu e outros professores, tomamos também a precaução de enviar uma lista de músicas que nossos alunos vão tocar, assim evitamos repetições e as indesejadas comparações entre a performance de um aluno com o outro. Ah, e sempre temos um plano A e um plano B, ou seja, uma música reserva, caso seja necessário trocar porque outro aluno escolheu a mesma.

Outra questão é que alunos que se apresentam pela primeira vez, especialmente os das faixas etárias entre 4-8 anos, fazemos repertório a 4 mãos, que pode ser com o professor ou com algum membro da família que também saiba tocar (mãe, pai, avô, irmão mais velho…). Assim eles dividem com outra pessoa mais experiente a responsabilidade de estarem no palco, ganham confiança e com isso acabamos minimizamos um pouquinho esse estigma do pianista solitário no palco!

6. O calendário de contagem regressiva

image
Para intensificar o estudo e ajudar o aluno a se preparar adequadamente montamos um calendário de contagem regressiva de 1 mês ou 15 dias. Assim os alunos seguem tarefas específicas para que o momento do estudo se aproxime ao momento do palco e eles sintam-se muito seguros na hora da apresentação. Mas vou fazer um post especialmente sobre isso amanhã com um vídeo explicativo e um arquivo PDF para baixar o modelo, então não percam.

7. Convites

image

Aproximadamente 3 semanas antes do recital é hora de enviar os convites. A partir do número de participantes e da quantidade de acentos disponíveis no local o professor deve informar a quantidade de convidados que cada aluno pode ter. A ideia é que todos possam se sentar confortavelmente e que não tenhamos ninguém de pé durante o evento.

Em um post anterior deixei uma super dica sobre cartazes e convites que podem ser feitos de forma simples e barata no Joy Tunes. Mas há também outros apps e sites que podem auxiliar nessas horas como o Piccolage e o Canva.

Antigamente costumávamos imprimir tudo, mas hoje em dia os alunos preferem enviar por mídias sociais (messenger, WhatsApp…) e e-mail, então só fazemos de forma virtual. Abaixo estão alguns modelos desse ano:

image

image

image

8. A hora dos ensaios!

image

Sim, fazer ensaios é importantíssimo, especialmente quando estamos falando de alunos de piano, que obviamente não vão tocar no próprio instrumento e precisam de um tempo de preparação e adaptação ao piano do recital, ao pedal, ao peso das teclas, ao som, a acústica do local…Quando os alunos têm teclado ou piano eletrônico em casa, esses ensaios tornam-se ainda mais relevantes!

No nosso caso fazemos um ensaio geral uma semana antes, e no dia do recital os alunos têm que chegar mais cedo para treinarem no piano da apresentação. Gostaríamos de fazer mais, mas o custo de aluguel dos espaços limita nossa quantidade de ensaios, de forma que não fique muito pesado para os pais e alunos que custeiam todo o evento.

9. As últimas instruções!

image

Na semana do recital costumo revisar algumas coisinhas que considero importantes para os alunos e pais. Para os alunos eu entrego uma folhinha com lembretes que fazem toda a diferença para a hora da performance, e para os pais envio mensagens no dia anterior lembrando do endereço, do horário de chegada para o ensaio, do vestuário e das partituras (para aqueles que não vão tocar de memória).

10. Os Materiais

image

A última coisa seria listar e separar TODOS os materiais que o professor deve levar para o evento, que variam de acordo com cada tipo de recital e do que está disponível no local, mas alguns que poderia citar são: partituras ou livros (como uma segurança caso os alunos se esqueçam); lanchinho e descartáveis, um banquinho para apoio dos pés (especialmente para alunos de 4-8 anos), microfone, caixa de som, projetor, computador, extensão, máquina fotográfica e filmadora, banners, programas impressos, lembrancinhas e cartazes com informações importantes para alunos, pais e convidados.

No terceiro post dessa série vou compartilhar sobre esses cartazes!

Bem, depois de ter trabalhado diligentemente ao longo de meses em planejamento e preparação cuidadosos, vejam que tudo fica bem mais sistematizado e em ordem, não é mesmo? 😉 Então vale a pena todo o sacrifício!!

Amanhã continuaremos com o calendário de contagem regressiva e também com o Dia D!! Não Percam!!

Mirka.