Para não Esquecer os Aniversários

image

Eu sou péssima com aniversários! Já cheguei a esquecer o da minha própria mãe (na época do recital final de mestrado). Eu sei, é uma vergonha!!

Então, levando em consideração essa minha séria dificuldade, achei que estava na hora de fazer uma folhinha para anotar todos os aniversários dos alunos nesse segundo semestre! Assim posso me organizar mês a mês e programar as lembrancinhas, mensagens ou telefonemas com a devida antecedência! Eles ficam felizes quando lembramos! É a mensagem que passamos para eles de que são especiais para nós, não é mesmo?

Bem, há que se observar é claro a questão de que alguns alunos não celebram essa data por convicções religiosas. Por isso, para evitar constrangimentos é sempre bom perguntar antes!

Segue a folhinha:image.jpeg

Aniversariantes do Mês (Julho-Dezembro) – PDF

Feliz aniversário então!!

Mirka.

 

 

Para refletir…

 

image

Nesse finalzinho de noite de domingo deixo uma frase de Rogers para ajudar a trazer perspectiva e dimensionar o alcance do trabalho que fazemos, que toca e transforma vidas, realiza sonhos, traz alegrias, desafios, ensina a importância da disciplina…algo que certamente vai muito além do puro ensino da música!

image

Uma ótima semana a todos! 😊

Mirka

A Clareza na Tarefa

 

 

.

image

Da Série: Socorro, meu aluno não estuda!

Minha luta eterna é fazer os alunos estudarem, e quando isso ocorre regularmente a minha luta torna-se fazer com que intensifiquem o tempo e a qualidade desse estudo! Mas confesso que é muito frustrante sair de uma ótima aula, onde você estuda junto com o aluno, mostra todo o passo a passo, e termina achando que ele compreendeu tudo e então chega a aula seguinte e você ouve a frase clássica no cancioneiro estudantil: “não entendi a tarefa”. É nessas horas que a gente conta até 1000, respira fundo, e diz calmamente: “ok, o que você não entendeu exatamente?”

Antigamente eu achava que era malandragem do aluno (e em alguns casos raros, ainda acho que é), mas obviamente tomei a responsabilidade para mim, afinal se ele não entendeu como estudar, há uma grande chance de eu não estar sendo clara na hora de passar o dever de casa, não é mesmo?

A partir dessa experiência, gostaria de sugerir 6 pontos baseados na minha observação e também com ideias do livro The Practice Revolution do Philip Johnston.

image

1. Anotar: não consigo conceber uma aula em que o aluno saia sem anotar nada do que ficou de tarefa! Uma semana é muito tempo e ele pode não lembrar. Mesmo que estude no dia seguinte, sempre há o risco de questões importantes se perderem. Então, como já compartilhei em um post anterior, eu uso uma agendinha específica para isso, onde anoto o dever de casa da semana! Mas qualquer cadernetinha, caderno, ou bloquinho que possa ser usado nas aulas já serve!

image

Se você ainda não viu o post sobre a agendinha, clique AQUI!

2. Escrever o suficiente: é muito importante ter um equilíbrio entre escrever coisas vagas e óbvias como “estudar” ou “estudar mais” e anotar com os mínimos detalhes numa “verborragia” medonha que vai fazer o aluno ter preguiça de ler, ficar desanimado com a quantidade de coisas a fazer e desistir logo de cara! O segredo é escrever o suficiente, usar palavras chaves, chamar a atenção para os pontos importantes anotados na própria partitura.

Abaixo segue um exemplo da tarefa de uma aluna de 7 anos. Como na página do livro já havia colocado muitas anotações do que ela deveria fazer, fui econômica na hora de escrever, apenas enfatizando a importância dela repetir determinado número de vezes (os pequenos não entendem muito bem a importância da repetição para o aprendizado e acham que tocando uma só vez está bom!)

image

image
3. Clareza: essa questão é essencial! Escrever com letra cursiva para alunos em séries iniciais que só entendem letra de forma, ou um garrancho que nem mesmo os alunos adultos entendem, pode ser um problema! A letra deve ser clara, legível e compatível com cada idade! Para as crianças, uso muitas cores, tento deixar o mais bonito, claro e objetivo possível! Os alunos adolescentes e adultos escrevem eles mesmos os pontos que ficam de tarefa! Isso ajudará a lembrar o que devem estudar, além de que escreverão de um jeito que eles mesmos entendem!
Abaixo tenho duas fotos de exemplos de anotações, a primeira é de uma aluna de 8 anos, escrito por mim e a segunda de uma de 13, escrito por ela mesma:

image

image

4. O momento da revisão: no final da aula SEMPRE eu dedico 1 minuto para revisar os pontos que ficaram de tarefa. Faço os alunos lerem o que eu escrevi e pergunto se ficou alguma dúvida, ou peço para eles lerem o que eles mesmos escreveram para ter certeza de que vão sair da aula seguros do que precisa ser trabalhado. O Philip Johnston chega a ter uma poltrona especial no estúdio dele que é a “Poltrona da Tarefa”. Os alunos não podem ir embora sem antes se sentarem lá e revisarem todos os pontos que devem ser estudados naquela semana!

5. Envolver os pais: para as crianças é MUITO importante envolver os pais! Eu geralmente tiro foto da página da tarefa e mando para eles por WhatsApp com a seguinte mensagem:

“Queridos pais, isso é o que a Maria precisa fazer essa semana para a aula de piano. Por favor, verifique se o estudo está acontecendo e, se possível, separe um tempo na sua agenda para sentar-se ao lado dela e ouví-la tocar! Muito obrigada por seu apoio! Isso faz toda a diferença nas nossas aulas.”

Não posso deixar de reforçar o quanto esse envolvimento da família é essencial! A diferença dos alunos em que os pais participam ativamente do aprendizado é gigantesca, comparado com aqueles em que a família pouco se importa e não há estrutura com horários e regras de estudo na casa! Aliás, esse é um dos meus pontos de corte na hora de selecionar novos alunos!

6. Estar à disposição: mesmo depois de tudo isso, dúvidas ainda podem surgir, nesse caso eu sempre deixo meu endereço de Skype disponível. Eu não vou ficar online o tempo todo (óbvio), mas eles sempre podem me mandar mensagens ou vídeos off-line e quando eu tenho algum tempinho durante o dia eu respondo para ajudá-los a continuar estudando corretamente. (sem ter que esperar uma semana inteira para isso!) Você pode pensar: “mas que absurdo, você já não trabalha o suficiente?” Bem, esse é um serviço extra que além de ajudar muito os alunos também justifica o valor das minhas aulas! 😉

Então acho que por hoje era isso! Se você tem outras estratégias na hora de deixar a tarefa e se certificar de que o aluno compreendeu bem o que precisa ser feito, por favor, compartilhe comigo e com os colegas que seguem esse blog! Adoraria ouvir suas ideias e sugestões! Preciso continuar aprendendo sempre!

Obrigada,

Mirka.

Até Debaixo D’água!

image

Na semana passada eu compartilhei um material para ajudar a memorizar as notas nas linhas e espaços da CLAVE de SOL!! Hoje gostaria de fazer um post coordenado disponibilizando para vocês uma opção de atividade para a CLAVE de FÁ! Mas dessa vez não encontrei nenhuma frase “milagrosa”, então minha sugestão para ajudar no aprendizado é memorizar 4 notas de referência (notas de âncora), que os alunos devem saber até “debaixo d’água”. São elas: o dó central, o fá da clave (quarta linha), o dó do segundo espaço e o sol da linha 1. Usando essas notas como guia é possível identificar outras ao redor (nas linhas e espaços vizinhos). Segue o pdf do material e também a opção em figura para copiar e imprimir.

image

image

Notas de Âncora PDF

Bom ensino de música a todos!

Mirka.

Começando pelo “por que”

image

O post de hoje a princípio não tem nada a ver com música. É uma palestra da TED mais voltada para o mundo das vendas e as grandes empresas. Mas a mensagem de Simon Sinek do “por que” fazemos o que fazemos é poderosa. No meu caso, refletir sobre essa questão foi fundamental para definir minha opção de carreira, meu trabalho como professora de piano e minha maneira de interferir na vida das pessoas através do ensino da música. Compreender profundamente a razão da minha escolha por ensinar piano foi essencial. Dessa forma, se outros entenderem minha paixão e, se acreditarem no que eu acredito, na minha maneira de ensinar, poderão ter o desejo de trilhar esse caminho comigo sendo meus alunos! Vale a pena dar um crédito para a essência da mensagem de Simon e pensar nessas coisas aplicado à nossa realidade. Bom domingo a todos!

Mirka😃

Carimbos fofos!

image

Da Série “Fofurices”: 

A boa ideia de hoje é usar carimbos pedagógicos! 

Preciso confessar uma coisa! Tenho uma fraqueza para papelarias! Sempre que passo por uma tenho que entrar para dar uma olhadinha e, uma vez que entrei, dificilmente saio sem comprar alguma coisinha. É realmente um perigo!

Em uma dessas minhas visitas frequentes a uma loja de materiais escolares encontrei uns carimbinhos auto-entintados pedagógicos da marca YES que são umas fofuras! Eles são uma ótima ideia pois podem tanto serem usados para lembrar ou marcar a tarefa, como para celebrar e parabenizar os alunos por metas alcançadas! Uma gracinha mesmo! Levei vários e os alunos amam usar esses carimbos! Não, esperem, eu acho que não consegui expressar isso de forma clara. Deixem-me repetir novamente: os alunos A-M-A-M esses carimbos de verdade!

image

E essa é a pequena ideia de hoje!

Bom ensino de piano/música a todos!

Mirka.

As Pérolas Brasileiras

image

Hoje gostaria de recomendar o maravilhoso projeto:

image

A idealizadora é a super competente Carla Reis*, professora do Departamento de Música da Universidade de São João Del Rei, em Minas Gerais. O Objetivo é produzir material audiovisual com obras didáticas de nível elementar e intermediário para piano de compositores brasileiros. A missão do projeto, como descrito no próprio título, é “desvelar”, ou  nas palavras da própria autora, tornar esse repertório conhecido.  O projeto é realizado via Canal no Youtube, mas há também uma Página no Facebook. O público alvo são professores de música e alunos do Brasil e exterior. Carla conta com a ajuda do bolsista Ighor Anjos e de outros alunos, todos acadêmicos da UFSJ, bem como professores convidados. No ano de 2015, quando se deu o início das gravações dos vídeos, os compositores selecionados foram Lorenzo Fernandez, Ronaldo Miranda e Antonio Celso Ribeiro. Para 2016 são: Guerra-Peixe, Cláudio Santoro, Oiliam Lanna e Rogério Vasconcelos.

Vale a pena conferir o vídeo abaixo, que foi premiado no  primeiro Nas Nuvens – Congresso de Música Virtual  e que explica de forma detalhada como esse trabalho foi concebido:

 

Para o futuro os desdobramentos são:

  1. A realização de eventos como o “Piano Pérolas Convida”, tendo o seu debut em maio desse ano  com concerto e Masterclass da professora Miriam Grosman;
  2. A outra ideia é criar um site para hospedar as partituras que foram gravadas nos vídeos do Canal do Youtube ou disponibilizar links para compras.

Eu particularmente recebo esse projeto pioneiro com grande alegria,  uma vez que não havia de fato nenhuma fonte disponível na internet com obras desse tipo, com gravações de qualidade, devidamente catalogadas e disponibilizadas de forma acessível para consulta. Sendo assim, meu convite aqui hoje é para que vocês conheçam, curtam, ouçam e  assistam aos vídeos do Piano.Pérolas. Mais importante ainda, que vocês inscrevam-se no canal, prestigiem e façam uso dessa ferramenta que veio para preencher uma lacuna que há muito existia. Cabe a todos nós darmos a devida importância a esse repertório tão relevante dentro do ensino do piano no Brasil.

 Deixo vocês com essa pérola de  Lorenzo Fernandez, a maravilhosa Suíte das 5 Notas:

Bom ensino de música brasileira a todos!

Mirka.

————————————————————————–image

*Sobre Carla Reis:
Carla Reis formou-se em piano pela Escola de Música da UFMG e obteve o título de Mestre na UFRJ. Aperfeiçoou-se no Conservatório de Música de Moscou (Rússia) e na Hochschule für Musik Karlsruhe (Alemanha). Em 2006, passou a integrar o corpo docente do Departamento de Música da Universidade Federal de São João del Rei (Minas Gerais-Brasil). É Doutora em Educação pela UFMG.